O Pix causou uma revolução nas finanças brasileiras em poucos anos de lançamento. Isso se deve a uma série de fatores, como a rapidez de transações e a facilidade da criação das chaves. Essas, funcionam como um endereço a ser percorrido pelo dinheiro no sistema do Banco Central, até chegar a um destinatário com alguma conta atrelada a ela.

Apesar disso, a facilidade cresceu nas mesmas proporções dos golpes e crimes cometidos usando o Pix como gangorra. Por isso, veja a seguir as mudanças que estão acontecendo com o Pix no momento para você não ficar ao sabor dos ventos sem conhecê-las:

Quais os golpes mais comuns com o Pix?

Os mais comentados na mídia nos últimos tempos foram:

  • Agendamento: Como é possível agendar o pagamento, muitos golpistas dão a impressão de um Pix realizado, mas na verdade
  • QR Code: Alguns criminosos usam o código para compartilhar um link de pagamento falso entre os usuários que transferem para uma conta terceiro.
  • Whatsapp Clonado: Apesar da criptografia avançada, o Whatsapp tem diversas fragilidades que levam criminosos a utilizarem o número de outras pessoas e pedir quantias para amigos e familiares dos contatos.
  • Atendimento bancário falso: Sempre desconfie quando algum banco te ligue com uma oferta mirabolante e solicitando dados de acesso pessoais.

Assim, as regras universais para evitar os golpes, é sempre desconfiar de todo o processo de pagamento com o Pix, evitando pensamentos automáticos e precipitados.

Como o Pix está evoluindo?

Entre as principais medidas anunciadas, podemos mencionar o limite de transferências em determinados horários.

Assim, pode ajudar a evitar uma ação muito comum que estava acontecendo, o sequestro relâmpago para realizar as transferências do Pix.

Forçando os usuários a terem um teto para transferências noturnas, geralmente a partir de 21 horas, até às 6 horas.

Se a medida irá trazer efeitos positivos é difícil saber, entretanto, é fundamental analisar os resultados e como os números estão se comportando depois da implementação dessa medida.

Levando os organismos competentes a pensarem novos caminhos e soluções que não prejudiquem o usuário comum e seja um impeditivo de criminosos.

Qual o futuro do Pix

Sem dúvidas, os anúncios do presidente do Banco Central são bastante animadores quanto às inovações a serem implementadas no dia a dia das pessoas.

Entre os mais aguardados está o Pix saque, onde você terá acesso a dinheiro físico em qualquer estabelecimento cadastrado na plataforma.

Podendo levar a um fim da burocracia atual, na qual, o acesso a papel moeda, que só tem dois meios, ou uma agência bancária ou um caixa eletrônico.

Outro grande pilar de desenvolvimento dessa ferramenta é o Pix crédito, usando o limite de crédito das pessoas para pagar terceiros à vista e conseguir passar o valor em parcelas mais suaves para o bolso.

Os golpes podem ter um fim?

Diversos fatores podem contribuir para o fim dos golpes com o Pix:

  • Leis: Mesmo os crimes financeiros tendo leis existentes a décadas, as penas precisam ser mais rígidas para inibir possíveis tentativas de futuros criminosos.
  • Investigações: Com o rastreio dos golpistas mais agilizados, é possível nortear a polícia com mais certeza e evita que o dinheiro seja direcionado para o mercado ilegal.
  • Penas: As penas precisam de um endurecimento para crimes financeiros, mas isso, dependerá da análise de especialistas no assunto que julgariam os impactos da inflação do sistema carcerário.
  • Criptografia: Os passos de levar uma quantia financeira do ponto A para o Ponto B, devem ser mais difíceis de serem percorridos ou ter verificações com etapas posteriores a simples inserção da senha no aplicativo.

O que fazer depois de cair em um golpe?

Durante o dia, qualquer pessoa tem 30 minutos para informar ao banco da atividade incomum e assim, o dinheiro fica retido entre ambas as partes durante 72 horas. No período noturno, esse intervalo de tempo pode chegar a até 1 hora.

Outro ponto essencial: todos os prejudicados por terceiros em relação ao Pix deverão fazer o Boletim de Ocorrência o mais rápido possível para informar tudo que se sucedeu até o ocorrido., 

Por último, nunca dispense a atuação dos advogados, estes profissionais atuam de maneira constante com casos semelhantes e podem encontrar atalhos para conseguir a quantia financeira de volta para a pessoa prejudicada.

E, para verificar a inscrição de advogados, você pode consultar o código de todos os regularizados com a Ordem dos Advogados do Brasil, clique aqui.

Recebi Pix errado, preciso devolver?

Ficou muito famosa nos últimos tempos a notícia de que a emissora de televisão Rede Globo, teria transferido mais de 300 mil para um morador. Que, ao ver o valor anormal em sua conta bancária, comprou a tão sonhada casa própria planejada por muitos a vida inteira.

Entretanto, quando foi solicitado a devolução, a empresa teve que entrar na justiça e começar o processo para reaver pelo menos parte do valor transferido.Assim, foi julgado e acabou que a casa virou propriedade da empresa. 

E, um dos artigos do Código Penal Brasileiro que dão suporte para a decisão é o 169, informando: “apropriar-se alguém de coisa alheia vinda ao seu poder por erro, caso fortuito ou força da natureza”, com pena de detenção, de um mês a um ano, ou multa.

Conclusão

Apesar da palavra Pix ser bem simples, é um universo que não para de crescer e conseguir ainda mais atributos na vida do brasileiro.  Infelizmente, os golpes e crimes podem não ter fim, pois, da mesma maneira que os pontos positivos aparecem, há negativos emergindo na mesma proporção.

Para continuar nessa onda de atualizações, uma ação que fará toda a diferença a longo prazo é ler constantemente conteúdos de qualidade como os publicados no Blog. Por fim, é preciso levar mais longe as mudanças que o Pix vem trazendo nos últimos anos, assim, compartilhe nas suas redes sociais o link para o artigo.